Blog do Desemprego Zero

Politicagem ou racionalidade. A quem interessa a bagunça do governo FHC?

Posted by Beatriz Diniz em 4 abril, 2008

  Publicado no Blog do Chicão  

Vejam a que ponto chegamos no Brasil. Para termos acesso a uma ÓTIMA NOTÍCIA é preciso que exista mais uma “crise política”. Estou me referindo ao SUPRIM (Sistema de controle de suprimentos de fundos), banco de dados que o governo Lula vem organizando desde 2004. No Suprim são registrados eletronicamente as despesas feitas com os cartões de crédito corporativos e com as verbas destinadas a suprir pequenos gastos da presidência da República.

Antes do Lula, na era FHC, os gastos eram uma bagunça, milhares de papéis, colocados juntos em pastas com pouquíssima organização. Para entender o quanto ele é importante vamos ler o que o Tribunal de Contas da União diz sobre este sistema (em seguida eu comento): “Houve um nítido aprimoramento dos controles internos sobre a gestão dos cartões de pagamento”. Ou seja, foi um ótimo avanço para a administração pública, um trabalho longo que infelizmente não tem sido devidamente valorizado pelos brasileiros. “A alimentação do sistema é descentralizada, iniciando-se pelo próprio portador do cartão e complementado com informações específicas pelos setores competentes da Secretaria de Administração”. Ou seja, quem gastou insere os dados e depois quem tem a responsabilidade de conferir descreve o gasto, motivo e dá o Ok.

Tudo em meio eletrônico, fácil de conferir e ter acesso. “Relativamente a 2003 os processos estavam sendo primeiramente desmembrados por portador, para que, então, pudessem ser lançados segundo o padrão adotado pelo sistema.” O governo federal, já em 2005 estava retroagindo os dados do SUPRIM. Iniciou em 2004 e a idéia era retroagir para outros anos. 2003, 2002, 2001, etc. Em 2003 os controles ainda funcionavam do modo herdado do governo FHC. Ou seja, uma bagunça. Os processos nem eram desmembrados por portador. Traduzindo: juntavam as despesas de várias pessoas, misturavam tudo e depois deixavam a pasta em algum arquivo empoeirado. BAGUNÇA PURA. A quem interessava esta bagunça? Era pura incompetência ou uma forma PLANEJADA de dificultar qualquer controle?

  Vamos seguir: “Em 2005, atingem-se níveis considerados satisfatórios de organização dos processos, comparativamente aos exercícios anteriores. Como regra, as demandas que motivam as despesas são anexadas aos autos, os documentos fiscais estão atestados, há demonstrativos que auxiliam a conferência das operações realizadas (a exemplo das planilhas de custo da locação de veículos, que apresentam controles individualizados sobre o valor da diária, o consumo de combustível, as distâncias percorridas)”. Melhoria contínua dos sistemas de controle. Com o ganho de experiência pode-se seguir adiante, melhorando, sempre. Um trabalho deste não rende votos, só é feito por quem realmente quer ter controle e transparência dos gastos públicos. É uma pena que o Brasil fique refém da politicagem e as melhorias gerenciais sejam desprezadas. “A auditoria anteriormente realizada sobre o uso dos cartões de pagamento apontou a dificuldade em se obter informações sobre o detalhamento das despesas realizadas mediante suprimento de fundos (item 11.1 do relatório transcrito no Acórdão 1783/2004-Plenário)”. “No âmbito da SA/PR, essa dificuldade foi remediada com o recente desenvolvimento do SUPRIM. Dentre outras informações, esse sistema contém o espelho dos documentos fiscais que compõem as prestações de contas, os quais devem refletir, por sua vez, os pagamentos realizados pelos portadores do cartão de crédito”.  Vou repetir: esse sistema contém um espelho dos documentos fiscais que compõem as prestações de contas. FANTÁSTICO. Parabéns para aqueles que desenvolveram este sistema. O Brasil merece que os gastos públicos tenham controle. Há muito que melhorar. Com certeza o caminho é este. Vamos ver mais: “A Unidade providenciou a alimentação retroativa do sistema…” Como eu disse anteriormente os dados estavam sendo retroagidos. Colocou-se o ano 2003, depois 2002, depois 2001… Conclusão: A quem interessa esta campanha para INTIMIDAR o governo federal a não colocar em banco de dados, de forma clara e transparente, os gastos de 2002 para trás? Porque se sentem incomodados com isto? Porque será que pessoas honestas e sérias entram no jogo político sem ganhar nada em troca?
Será que elas não percebem a importância para elas e para o país de ações governamentais como o portal da transparência e o SUPRIM? As pessoas preferem a bagunça e a desorganização do governo FHC ou um sistema informatizado e bem feito como este que está sendo montado? Para a oposição ao governo é bom ter os dados do Lula na mão para fazer politicagem. Eles querem que a bagunça do governo FHC CONTINUE pois isto serve de defesa, evitando a descoberta de possíveis atos ilegais ou atos de desperdício, descontrole, etc. Agora é hora dos cidadãos deste país deixarem de ser ENVOLVIDOS EMOCIONALMENTE pela politicagem da grande imprensa e agirem RACIONALMENTE valorizando o SUPRIM e exigindo que os dados de todos os governos estejam lá. E de preferência estejam também na internet. Atacar o governo por um ato que só merece aplausos só serve para alavancar os negócios dos donos dos jornais, revista e TVs.
BASTA DE INTIMIDAÇÃO: TODOS OS DADOS DO GOVERNO LULA E FHC NO SUPRIM. BASTA DE BAGUNÇA: ELA SÓ SERVE A QUEM QUER FAZER NEGÓCIOS E DISFARÇAR SUA INCOMPETÊNCIA.

 Ps: todos os trechos entre aspas foram retirados do Acórdão 230/2006 do Tribunal de Contas da União

 BLOG DO CHICÃO
http://blogchicao.tripod.com/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: