Blog do Desemprego Zero

Cartel da Mídia

Posted by Beatriz Diniz em 12 abril, 2008

“Mais um capítulo do dossiê…

*Postado por Luciana Sergeiro

Publicado em: Cidadania.com – UOL Blog

Por: Eduardo Guimarães

Porque a Folha, o Globo, a Abril e o Estadão não são honestos pelo menos uma vez e assumem logo a fusão entre eles oficialmente?

Quem chora por FHC?

Depois da, digamos assim, desconstrução pela blogosfera da última “nova” denúncia da Folha de São Paulo contra a ministra Dilma Rousseff, a própria Folha, a Globo e seu jornal, o Estadão e os demais jornais, rádios, tevês e revistas apêndices deles passaram a atuar em sincronia mecânica entre si.

Foram adotadas, pelos mega meios de comunicação, as seguintes regras:

1 – Manter sempre uma manchete vistosa, seja em jornais ou em telejornais, falando do “dossiê”

2 – Repetir, incessantemente, que o governo “só” quer investigar o vazamento de dados da Casa Civil e não “quem fez o dossiê”

3 – Repetir sempre que “o dossiê da ministra Dilma Rousseff” era “contra o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e sua senhora”

5 – Repetir, sem parar, que “agora” o governo isto, “agora” o governo aquilo, tentando caracterizar inconstância nas declarações governamentais sobre “o dossiê”.

6 – Tentar mostrar o governo “acuado”, a ministra “desequilibrada” e “assustada” com a “descoberta” dos “planos contra o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e sua senhora”

7 – Selecionar, cuidadosamente, os trechos de manifestações do governo, e evitar ao máximo o assunto Álvaro Dias.

8 – Sempre opinar sobre o assunto, seja em reportagens ou em editoriais.

9 – Tentar construir uma imagem de vítima de FHC e de “sua senhora”, de modo a despertar no leitor, no telespectador ou no ouvinte “solidariedade” para com o tucano.

10 – Barrar o contraditório, barrar qualquer racionalização sobre a falta de lógica da tese pró-oposição da mídia

O noticiário unificou-se e intensificou-se no tratamento do furto de dados confidenciais da Casa Civil. Tenta passar a idéia de que uma instituição da República foi afrontada, a “instituição” Fernando Henrique Cardoso. Querem caracterizar o “dossiê contra FHC” como se fosse violação da memória de Tiradentes, por exemplo.

No mundo real, no entanto, pode ser que a grande maioria das pessoas, de todas as partes do país e de todas as classes sociais, esteja achando tão ridículo tudo isso quanto nós achamos. Apesar de a mídia apresentar FHC e “sua senhora” como vítimas, o ex-presidente é um dos políticos mais rejeitados de todos os tempos.

O que acontece é que a mídia aposta na burrice das pessoas. Na falta de memória do povo, em falta de capacidade do povo de se perguntar, nesse caso, “E eu com isso? O que é que FHC fez por mim? Por que tenho que ser solidário com ele?”

Quem choraria por FHC hoje, se ele batesse as botas, além dos barões da mídia? Posso imaginar Frias, Marinho, Civita e assemelhados em fila, em prantos, inconsoláveis diante do esquife do tucano, mas não consigo visualizar o povo fazendo filas para prestar-lhe a última homenagem. Ou será que estou enganado?

Nós, da blogosfera, ao contrário do Partido da Imprensa Golpista (PIG), preferimos apostar na inteligência popular, na capacidade do povo de notar o excesso, a insistência num assunto para o qual ninguém está dando a menor bola. Todo mundo já percebeu a insistência histérica da mídia no assunto. E ninguém agüenta mais ouvir falar em “dossiê” e em FHC. Eles não aprendem a não exagerar.

A mídia tenta criar um clima de opressão, tenta passar a impressão de que pode passar sobre as discordâncias como se fosse um rolo compressor ao impedir qualquer divergência, produzindo, incessantemente, essas manchetes editorializadas. Contudo, em algumas semanas a mídia fará nova pesquisa de opinião para ver se “colou” e, como tem sido a regra, constatará que não colou.

E resta, ainda, a investigação sobre como o senador tucano Álvaro Dias (PSDB-PR) conseguiu tirar aqueles dados da Casa Civil e entregá-los à revista Veja e à Folha de São Paulo. Agora a Polícia Federal está no caso. Ao contrário da impressão que a mídia tenta passar, em bloco, de que a investigação pela PF foi aberta à revelia do governo, isso não é verdade. A mídia está é com medo.

Tive uma idéia que quero dividir com vocês. Está mais do que na hora de começarmos a mandar fazer uns adesivos para colocar nos vidros dos carros. Adesivos com frases como:

“Mídia não deixa o Brasil melhorar”

“Globo = FHC = Serra”

“Veja = FHC = Serra”

“Folha = FHC = Serra”

“Estadão = FHC = Serra”

“Mídia quer derrubar Lula”

“Globo quer derrubar Lula”

“Veja quer derrubar Lula”

“Folha quer Derrubar Lula”

“Estadão quer derrubar Lula”

“Que a mídia fale, mas não me cale”

E por aí vai.

Milhares de pessoas estão visitando este blog. Muitos milhares mais visitam a blogosfera. São pessoas de cada canto do país. Grande parte delas concorda com as premissas da blogosfera. Se esta sugestão se espalhar e vingar, poderemos cobrir o Brasil com esses adesivos. É a contra-informação, é David contra Golias, com uma funda mortal, a blogosfera e o boca a boca.

Pare de só reclamar. Converse com as pessoas. Mande fazer os tais adesivos. Faça panfletos. Quem precisar de redação, pode pedir que eu escrevo alguma coisa. Eles querem nos calar e esmagar com suas manchetes monocórdicas? Vamos mostrar a eles que não podem mais fazer isso. Agora o povo tem como se comunicar entre si. Temos a internet, e com ela vamos derrotar o rolo compressor da imprensa golpista.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: