Blog do Desemprego Zero

Cultura brasileira…

Posted by Beatriz Diniz em 14 abril, 2008

O que é mesmo cultura?

*Postado por Luciana Sergeiro

Publicado em: Blog do @creucho

Por Jorge Nascimento

De cara, gostaria de prevenir a quem ler este artigo, que, não sou nem reacionário, nem retrógrada, nem moralista, sou eclético em questões como música, leitura e outros tipos de cultura. Vejo tudo, analiso e gosto de dar minha opinião.

O que será cultura? Isso que passa na TV? Deus me livre.

Infelizmente nossos “artistas”, estão unicamente interessados em galgar “fama e ganhar dinheiro”. Raros são os que se interessam por “cultura”.

Não há um só programa de Rádio ou TV, que esteja interessado em cultura, o interesse é unicamente faturar. Até mesmo a TV Cultura, dita TV Pública, veicula comerciais.

Muitos artistas são até bem intencionados, alguns até com certo exagero, o artista atualmente deixou de ser um idealista, para quem tanto fazia ganhar dinheiro ou não, o que interessava era a divulgação da arte e a realização pessoal, haja vista, que muitos artistas de antigamente, estão ou morreram pobres.

Hoje, os artistas se profissionalizaram, são profissionais de mídia, com o objetivo único e exclusivo de ganhar dinheiro. Fazem faculdade e têm sindicato. A cultura ficou um pouco de lado, embora, ainda existam alguns que escrevam, façam música ou artes plásticas e cênicas com um pouco de idealismo.

Alguns artistas, escritores e dramaturgos confundem liberdade de expressão com dizer tudo que pensa, deixar sair todo tipo de bobagens com um vocabulário chinfrim, cheio de palavrões e coisas do gênero.

Que isso seja usado no Teatro, um recinto fechado, aonde vai quem quer tudo bem, mas na TV, é lamentável.

Outros confundem fazer arte com tirar a roupa, tanto homens como mulheres, lançam-se no mundo “artístico” pra falar palavrões e tirar a roupa.

Alguns chegam ao cúmulo de pensarem que discutem os problemas existenciais e sociais da nação com suas peças e novelas cheias de palavras inadequadas, sexo e apologia à desobediência aos princípios mais básicos da sociedade.

Em todas as novelas na TV brasileira, os temas abordados giram em torno de: traição, corrupção, sexo, grande incentivo ao consumismo desenfreado, personagens egocêntricos e descontrolados. Os autores pensam que estão passando algum ensinamento aos jovens e adolescentes, estão sim, mas é ensinando a mentir, desobedecer aos pais, enganar, fazer coisas escondidas, envolver-se com pessoas suspeitas e viciadas, corruptas e muitas outras coisas abomináveis. Os autores hoje em dia, não escrevem mais uma história para suas novelas, não há um tema central, a novela muda de rumo, conforme a audiência e a opinião do público.

Infelizmente isso não é cultura.

Escandalizar a sociedade, escancarando os já gravíssimos problemas que afligem e afetam a vida cotidiana, não ajuda em nada, apenas são usados para obter audiência televisiva, sem discutir ou apresentar solução alguma. O único objetivo disso tudo é dinheiro.

Alguns programas de TV, ditos culturais ou que pretendem sê-lo, seriam totalmente dispensáveis. Programas sensacionalistas que agravam ainda mais, os já graves, problemas sociais nacionais. Programas cujo único objetivo é discutir a vida privada dos outros, fazer e lançar fofocas e farpas, promovendo ou derrubando este ou aquele. Programas que fazem apologia a drogas, violência, homossexualismo, consumismo, nada disso é cultura.

O sexo, é um capítulo à parte na TV brasileira, é muito difícil se achar um programa cujo assunto não seja sexo, em tudo há apologia a isso, quando não escancarada, a referência é feita subliminarmente, com gestos, palavras e sugestões sutis, sem contar os programas onde as mulheres e homens tiram a roupa literalmente. Nada disso é cultura. Cultura é outra coisa.

Claro que existem muitos programas que merecem a nossa apreciação e o nosso louvor, são programas e apresentadores de boa reputação, que apresentam programas realmente culturais, que transmitem alguma coisa aproveitável à nossa sociedade, que levam para nossos lares a discussão de assuntos de interesse da família e que podem em muito ajudar a administrar esse país à deriva.

Não citarei aqui nomes nem de pessoas nem de programas, por motivos óbvios.

Grande parte dos programas exibidos na TV e no Rádio seria totalmente dispensável, no caso da gente querer que isso representasse cultura.

A maioria dos programas é exibicionismo e futilidade pura.

Qualquer pessoa pode dizer que é muito simples selecionar isso tudo, basta mudar de canal. Não é este o problema que estou discutindo aqui. O que estou querendo colocar é o que é chamado de “cultura” e o que é “cultura” mesmo.

Os artistas chamam tudo de cultura.

Cultura é o que pode acrescentar algum conhecimento, que seja proveitoso para o ser humano em sua vida diária. Não o que certas pessoas usam simplesmente pra encher os bolsos de dinheiro.

Os programas humorísticos, todos eles, sem exceção, são apelativos ao sexo, tratando temas sérios como banalidades. Os humoristas deveriam prestar um serviço à nação, usando sua inteligência para criticar e expor os graves problemas sociais nacionais, sem contudo apelar para o sexo puro e simples.

Cultura escrita. Livros e revistas, são adquiridos e lidos por uma ínfima parcela da população, pouco ou quase nada influenciam na opinião pública, em todo caso, compra livros, revistas e jornais, quem pode então o dano é muito menor.

A música, esta atinge a grande massa da população, tem grande apelo ao sexo, conduz os jovens e adolescentes a práticas não recomendáveis, apologia ao uso de vícios, violência, desobediência e outras tendências. Tudo bem escuta quem quiser, mas que poderia ser um pouco mais cultural, isso poderia.

A quase obrigatoriedade da cultura corporal é algo que assombra em nossa sociedade. Criou-se uma obrigatoriedade em torno da cultura do corpo, que está levando jovens à morte. Instituiu-se que a magreza é a tônica do momento, quem não for magérrimo, está fora de moda, quem não praticar esportes que modelem o corpo é “off”, está por fora, não se enquadra no perfil atual.

Quanta idiotice junta, me desculpe quem gosta disso.

Os exercícios físicos e a cultura corporal, deviam ser usados para trazer saúde ao nosso corpo, não para nos encher de neuras e manias, nem provocar doenças. Tudo isso é apenas apelação porque o fisiculturismo é um nicho que dá muito dinheiro, há mais academias nas cidades do que igrejas, têm mais gente adorando o corpo do que rezando. Dentro deste contexto, tem gente adoecendo por tomar “bombas” e “coquetéis” milagrosos, que vão fazer isso ou aquilo com o corpo, tem gente ficando anoréxica por fazer regimes forçados, muitos de fome absoluta, pelo simples fato de se imaginarem “gordas” ou “feias”.

Tudo isso são modismos, meios que alguns espertalhões acharam pra ganhar dinheiro fácil. Isso também não é cultura.

Ser gordo ou magro não é importante, tem gente gorda feliz e gente magra infeliz.

Bem o assunto sobre cultura está posto aqui…críticas e outras sugestões são bem-vindas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: