Blog do Desemprego Zero

Gilmar Mendes quer uma crise Institucional Ou L’etat C’est Moi

Posted by Beatriz Diniz em 12 maio, 2008

Gilmar Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal, fez uma forte crítica a declaração do Presidente Lula. Lula havia dito em sua declaração que a absolvição do fazendeiro acusado de matar a missionária Dorothy Stang, é uma vergonha para o país. Gilmar confessou também que o assassinato do jovem brasileiro na Inglaterra, onde os policiais que cometeram o crime foram absolvidos, não suja a imagem da Justiça inglesa deste país.

Como Paulo Henrique Amorim afirma: Mendes quer que as câmeras, os holofotes e os repórteres do PiG se concentrem nele e ser o Supremo Guardião dos interesses conservadores do país

Por Katia Alves

Por Paulo Henrique Amorim

Publicado no: Conversa Afiada

O Presidente (do Supremo Tribunal Federal, por enquanto) Gilmar Mendes criticou furiosamente uma declaração do Presidente Lula de que a absolvição do fazendeiro acusado de mandar matar a missionária Dorothy Stang envergonhava o Brasil.

O candidato a Presidente da República Gilmar Mendes só faltou dizer que o Presidente Lula não sabe o que diz.

Que é um despreparado.

Mendes confessa que desconhece como o fazendeiro foi absolvido – mas, de qualquer forma, Lula é um …

Mendes acha que, da mesma forma, a absolvição dos policiais ingleses que mataram o brasileiro Jean Charles de Menezes num metrô de Londres não mancha a imagem da Justiça inglesa.

Não mancha para ele, Mendes.

Para mim, Paulo Henrique Amorim, manchou, sim.

Uma polícia de quinta categoria e uma Justiça de quinta categoria inocentaram os assassinos frios de um brasileiro trabalhador, honesto e inocente.

Um episódio que reflete com fidelidade o que foi aquele governinho de quinta, o do Toni Blair.

Mendes quer se sobrepor ao Ministro (?) Marco Aurélio de Mello (*) em dois campos.

Primeiro, Mendes quer que as câmeras, os holofotes e os repórteres do PiG se concentrem nele e, não mais, em Mello.

Mendes quer ser o Supremo Guardião dos interesses conservadores do país.

Como a oposição brasileira é um deserto – clique aqui para ler “Quem afunda a oposição ? – há um amplo espaço a ser ocupado.

Ou melhor, é preciso expulsar Mello desse espaço o mais rápido possível.

Segundo, Mendes quer, como Mello, arrumar uma crise institucional.

Fazer um rolo constitucional, jogar o Executivo contra o Judiciário, para prejudicar o Presidente Lula, claro.

Foi o que Mendes fez, assim que se sentou na cadeira de Presidente (do Supremo), e avisou ao Presidente Lula: chega de Medida Provisória.

Porque o Executivo, o Legislativo e o Judiciário – tudo agora c’est moi.

(*) O Conversa Afiada perguntou a Mendes se Mello não se teria desqualificado para julgar a questão dos índios e dos arrozeiros em Roraima, que está sub judice no STF, com a declaração estapafúrdia que deu.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: