Blog do Desemprego Zero

A nova política industrial, a Política de desenvolvimento do setor produtivo: texto I

Posted by Beatriz Diniz em 13 maio, 2008

O governo lançou no dia 12 a nova política industrial com o nome de Política de Desenvolvimento Produtivo, com o grande objetivo de alavancar a indústria exportadora do país. A nova política vai beneficiar diversos setores como: o setor de software e tecnologia, indústria naval. Medidas de estímulo ao investimento, como diminuição do IOF nas operações de crédito do BNDES, Finame e Finep; em relação à inovação, haverá criação de uma linha de capital inovador e incentivo para as empresas aumentarem a capacidade inovativa, entre outros.

Por Katia Alves

Publicado no Tribuna on-line

Conheça as medidas da Política de Desenvolvimento Produtivo

Clique aqui para ler a íntegra da nova política industrial do governo Lula.

Veja abaixo alguma das medidas:

Software e tecnologia – Redução da contribuição patronal para a seguridade social sobre a folha de pagamento de 20% para até 10% e da contribuição para o Sistema S para até zero, de acordo com a participação das exportações no faturamento da empresas;

– Dedução em dobro, para determinação da base do cálculo do Imposto de Renda e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido das despesas com programas acelerados de capacitação de pessoal;

-Permissão para que as empresas de informática e automação possam deduzir da base de cálculo do IR e da CSLL os dispêndios relativos a pesquisa e desenvolvimento multiplicados por um fator de até 1,8; – Novo Prosoft: 1 bilhão de reais entre 2007 e 2010.

Indústria naval

– Receberá investimento inicial de R$ 400 milhões – O dinheiro será destinado a um fundo garantidor de performance.

– Haverá a suspensão da cobrança de IPI/PIS/CONFINS incidentes sobre peças e materiais destinados a construção de navios por estaleiros nacionais – Também será ampliada a suspensão da cobrança de PIS/Cofins na aquisição de combustíveis para a navegação de longo curso. Hoje, só recebe esse benefício a navegação de cabotagem.

– A Petrobras vai lançar uma licitação para a construção de 146 embarcações de apoio às operações da estatal. Deste total, 24 já vão a mercado para licitação imediata.

Estímulo ao investimento:

– Eliminação da incidência do IOF de 0,38% nas operações de crédito do BNDES, Finame e Finep;

– Redução do IPI para uma lista de setores a ser divulgada.

– Redução de prazo de apropriação de créditos de PIS e COFINS derivados da aquisição de bens de capital de 24 para 12 meses, ou seja, quem investe em máquinas poderá abater a depreciação do bem nas dívidas do PIS Cofins num prazo mais curto

– Prorrogação, até 2010, do previsto pela Lei 11.051/2004, que reduz de forma acelerada em 50% do prazo de crédito de 25% do valor anual da depreciação que pode ser abatido da CSLL. A medida que beneficia empresas queinvestirem em máquinas e equipamentos a abaterem o valor da depreciação dos bens dos valores devidos de CSLL. O prazo para usar o abatimento terminaria este ano e foi estendido até 2010

Financiamento de renda variavel

– Ampliação do funding do BNDES: previsão de desembolso total projetado para indústria e serviços entre 2008 e 2010 de R$ 210,4 bilhões (capacidade produtiva, inovação e modernização), dividido em de R$ 62,5 bilhões este ano, R$ 70,2 bilhões em 2009 e R$ 77,7 bilhões em 2010;

– Redução de 20% no spread básico do conjunto de linhas de financiamento do BNDES, de 1,4% para 1,1% ao ano;

– Redução de 40% do spread básico de 1,5% ao ano para 0,9% ao ano; duplicação do prazo para a indústria no produto Finame, de 5 para 10 anos;

– Cobrança de 100 por cento da TJLP (hoje 6,25 por cento ao ano);

– Redução da taxa de intermediação de 0,8% para 0,5%.

Inovação

– Criação de uma linha de capital inovador de R$ 6 bilhões entre 2008 e 2010 que cobra apenas a TJLP;

– Apoio e esforços inovativos das empresas, principalmente capacitação, ativos intangíveis, engenharia;

– Nova linha inovação tecnológica: apoio a projetos de pesquisa desenvolvimento e inovação, com taxa de 4,5% por cento;

– Fundo Tecnológico terá, em 2008, foco em saúde, energias renováveis e redução de emissões;

– Finep – financiamento de R$ 740 milhões em 2008; subvenção econômica à inovação de R$ 325 milhões;

– Criação de um Fundo Soberano.

Clique aqui para conhecer as principais medidas da Política de Desenvolvimento Produtivo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: