Blog do Desemprego Zero

Líder guerrilheira das Farc se entrega na Colômbia

Posted by Beatriz Diniz em 19 maio, 2008

Neste domingo entregou-se à polícia colombiana a guerrilheira Nelly Ávida, conhecida como Karina. Esse acontecimento representa uma vitória para o governo de Álvaro Uribe.

Por Katia Alves

Publicado originalmente no Estadão

Por Reuters

‘Karina’ comandava uma divisão da guerrilha no noroeste do país e é a mulher de mais alto escalão no grupo

Karina é acusada de ter cometido assassinatos e seqüestros

Uma das principais comandantes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), a guerrilheira Nelly Ávila Moreno, conhecida como Karina, se entregou à polícia colombiana no Departamento de Antioquia no domingo, 18. A líder rebelde comandava a “frente 47” da guerrilha e era considerada a mulher de mais alto escalão dentro do grupo rebelde e é acusada de uma série de assassinatos e seqüestros.

Segundo o correspondente da BBC em Medellín, Jeremy McDermott, a rendição de Karina representa uma vitória para o governo de Álvaro Uribe. Há duas semanas, Uribe enviou uma mensagem pública à Karina, garantindo que ela estaria segura caso se entregasse. De acordo a BBC, Karina é lembrada pelas crueldades cometidas contra moradores de Antioquia, ao noroeste do país. Segundo o correspondente, muitos moradores, comerciantes e fazendeiros sofreram com a extorsão, seqüestros e assassinatos realizados pela líder rebelde.

O ministro da Defesa da Colômbia, Juan Manuel Santos, disse que Karina estava “quase morrendo de fome” quando ela e outro guerrilheiro, conhecido como Michín, se entregaram. Em 2002, o presidente colombiano a apontou com um dos principais alvos das forças de segurança do país e ofereceu uma recompensa de US$800 mil (R$1,3 milhão) para quem a capturasse ou matasse.

Karina perdeu um dos olhos em combate, tem diversas cicatrizes na face e um ferimento no braço causado por um tiro. Seu comandante direto dentro da guerrilheira, o líder Ivan Rios, foi assassinado em março deste ano por um de seus guarda-costas.  O guarda-costas chegou a cortar as mãos de Rios para provar às autoridades que tinha matado o comandante e receber uma recompensa acima de US$ 1 milhão(R$1,7 milhão).

Segundo a mídia colombiana, após a morte de Rios, a “frente 47”, começou a se desintegrar e a enfrentar sucessivas ofensivas do Exército. Desde a morte de Rios, Karina era a única comandante das Farc no noroeste do país. As Farc lutam pela derrubada do governo da Colômbia há mais de 40 anos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: