Blog do Desemprego Zero

Júlio Gomes: inflação é séria e não se resolve com juros

Posted by Beatriz Diniz em 25 maio, 2008

Entrevista com Júlio Gomes de Almeida, consultor do IEDI, concedida a Paulo Henrique Amorim.

Júlio Gomes fala nessa entrevista sobre o atual contexto inflacionário que tem acometido todo o mundo e não apenas algumas economias, como a brasileira. Segundo Júlio, essa conjuntura inflacionária é resultante de uma crise estrutural a nível mundial e que afeta o Brasil, pois atinge três importantes componentes da sua Balança Comercial: petróleo, alimentos e minérios.

O consultor do IEDI ainda afirma que esse tipo de inflação, fundamentalmente exógena, não se resolve com medidas de contenção de demanda, como elevação de juros. Ele acredita que apenas a desaceleração da economia mundial deve realmente aliviar essa pressão inflacionária…

Leia a seguir a íntegra dessa conversa, extraída do site de PHA…

* Por Elizabeth Cardoso, editora e coordenadora de conteúdo

Publicado originalmente no Conversa Afiada, de PHA

Por Paulo Henrique Amorim

O consultor do Iedi (Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial) Julio Gomes de Almeida disse em entrevista a Paulo Henrique Amorim nesta sexta-feira, dia 23, que a inflação do Brasil não se resolve com alta na taxa de juros.

“Estou preocupado porque eu acho que o aumento de juros não combate essa inflação. Então a preocupação é redobrada. Se eu achasse que essa inflação que está aí fosse uma questão de ajuste fino, ajuste de sintonia da nossa demanda, eu diria que aí você aumenta os juros, como qualquer situação desse tipo, e nós estaríamos controlando a inflação”, disse Almeida.

Segundo Julio Gomes de Almeida, há uma inflação estrutural a nível mundial e o Brasil tem três choques de custo: petróleo, alimentos e minérios.

“Então, você pega a inflação do mês de maio, está lá: aumento de alimentos, choque internacional, trigo, por exemplo, arroz. Choque de ferro, do preço do ferro. Aumentou 70%, o que beneficia a gente pelo lado da balança comercial, mas é também um insumo que está aumentando aqui para nós. E o custo de combustível, que a Petrobras acabou de aumentar o óleo combustível. E isso não se resolve com juros”, disse Almeida.

Julio Gomes de Almeida disse que o problema de inflação no mundo se resolve quando a economia mundial se desacelerar.

Leia o que Julio Gomes de Almeida disse sobre inflação durante a entrevista a Paulo Henrique Amorim:

Paulo Henrique Amorim – Agora, Julio, deixa eu lhe perguntar outra coisa. Eu li uma reportagem do jornal Valor que diz que está havendo um aumento de salário superior ao nível de produtividade da economia e isso pode gerar uma pressão inflacionária adicional. Você compartilha desse temor?

Julio Gomes de Almeida – Não, não. O dado eu não sei qual é. O nosso do Iedi é do ano passado, na média no ano passado. A gente tem que tomar cuidado para não comparar esses dados em períodos muito curtos. Nós comparamos no ano passado e foi o contrário: o salário aumentou bem, não vamos deixar de frisar isso, aumentou muito o salário médio na indústria, mas a produtividade cresceu mais ainda. A faixa de variação é na casa de 4,2% de crescimento da nossa produtividade industrial contra 3,5% do crescimento do rendimento médio na indústria.

Paulo Henrique Amorim – É o melhor dos mundos? Ou seja, aumento de salário com aumento de produtividade.

Julio Gomes de Almeida – É o melhor dos mundos. Talvez o dado tenha comparado um período desse ano, um período muito curto. Eu não gosto dessas comparações. Eu prefiro comparar semestres contra semestres ou ano contra ano, para ter uma dimensão mais, digamos assim, de um prazo maior.

Paulo Henrique Amorim – Agora, Julio, deixa eu lhe fazer uma última pergunta, não querendo abusar da sua bondade: você está preocupado com inflação?

Julio Gomes de Almeida – Muito. Muitíssimo preocupado. E também preocupado porque eu acho que o aumento de juros não combate essa inflação. Então a preocupação é redobrada. Se eu achasse que essa inflação que está aí fosse uma questão de ajuste fino, ajuste de sintonia da nossa demanda, eu diria que aí você aumenta os juros, como qualquer situação desse tipo, e nós estaríamos controlando a inflação. Nós vivemos uma inflação estrutural a nível mundial. A nível brasileiro nós estamos vivenciando, Paulo, três ou quatro choques de custo. A saber: petróleo, alimentos, essas duas coisas uma tem a ver com a outra. E o choque minérios. Então, você pega a inflação do mês de maio, está lá: aumento de alimentos, choque internacional, trigo, por exemplo, arroz. Choque de ferro, do preço do ferro. Aumentou 70%, o que beneficia a gente pelo lado da balança comercial, mas é também um insumo que está aumentando aqui para nós. E o custo de combustível, que a Petrobras acabou de aumentar o óleo combustível. E isso não se resolve com juros.

Paulo Henrique Amorim – Como se resolve isso?

Julio Gomes de Almeida – Não, isso, a economia mundial se desacelerando vai recolocar essas coisas mais ou menos nos seus lugares. E o alimento, Paulo, vai dar um grande problema, porque aí a questão menos importante é perder um ponto ou ganhar um ponto na meta de inflação. É porque morre gente, reduz os avanços que nós tivemos em termos de redução de pobreza a nível mundial. O Brasil está mais ou menos vacinado contra isso: tem terra, tem produtividade, tem uma agricultura invejável, tem uma capacidade de resposta muito forte, mas a nossa inflação, infelizmente também, não é uma inflação do nosso setor de agricultura, é do mundo como um todo. Então, o problema é difícil, Paulo. Nós vamos viver com uma inflação maior, temos que ter muita tranqüilidade na utilização dos juros, se possível utilizar um pouquinho outros instrumentos, algum controle de crédito, ninguém vai morrer por causa disso, o Governo está arrecadando muito, não pode deixar que isso vá acrescentar mais gasto. O Ministro Mantega não quer isso, o Governo não quer isso, mas se não fizer nada vai acabar acontecendo. E aí eleva o gasto e ascende mais ainda a inflação.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: